Notícias

Em noite de apagão aéreo, Cruzeiro perde para o lanterna e segue perto do Z4 da Série B 

Por Rômulo Ávila , 19/09/2020 às 22:51
atualizado em: 20/09/2020 às 07:42

Texto:

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Gustavo Aleixo/Cruzeiro


O Cruzeiro segue seu calvário na Série B do Campeonato Brasileiro. Em noite desastrosa para a defesa celeste, o time do técnico Ney Franco caiu diante do CSA, até então lanterna, por 3 x 1, em duelo da 10ª rodada disputado neste sábado, no estádio Rei Pelé, em Maceió. Cleberson, Alan Costa e Pedro Lucas, todos de cabeça, marcaram os gols do CSA. Matheus Pereira, melhor figura celeste em campo, fez para a Raposa.

Sem um atacante de referência, o Cruzeiro teve um ótimo começo, acertou a trave com 1 minuto de jogo e dominava o duelo até o apagão aéreo que resultou em dois gols originados de bola parada, em falhas coletivas fatais da defesa celeste na primeira etapa. Para completar, o time ainda sofreu o terceiro, em nova bola cruzada na área, no segundo tempo. 

Se no primeiro tempo o Cruzeiro jogou bem, no segundo tempo o futebol foi deprimente.  Sem criação e com dois centroavantes em campo, teve como repertório apenas cruzamentos na área, facilitando o trabalho da defesa do CSA.  Ainda assim conseguiu diminuir na base na vontade, mas levou o terceiro em seguida e não teve força para se recuperar.  O CSA jogou parte do segundo tempo com um a menos, já que Rodrigo Pimpão foi expulso,

Como resultado, o Cruzeiro caiu para a 15ª posição, com 8 pontos, mesmo número do Guarani, primeiro integrante da zona de rebaixamento. Já o CSA chegou a 7 pontos e subiu para o 18º lugar, ainda no Z4. Foi a segunda vitória do time de Maceió na Série B. 

O Cruzeiro tentará a recuperação diante do Avaí, sexta-feira da próxima semana, no Mineirão. Já o CSA receberá o Juventude um dia depois, novamente no Rei Pelé. 

Falhas 

Sem um centroavante de origem, o Cruzeiro começou o jogo em cima do CSA, marcando alto e apostando na velocidade de Airton e de Arthur Caíke. Acertou a trava do goleiro Matheus Mendes logo com 1 minuto, em chute de Airton. 

Com Régis centralizado no ataque, o time celeste chegava com facilidade. O gol parecia questão de tempo. Só parecia. Quem abriu o placar foi o CSA, aos 11 minutos, em uma falha coletiva da defesa celeste. Diego Renan cobrou escanteio, Rodrigo Pimpão desviou na primeira trave e Cléberson, sozinho na pequena área, cabeceou para as redes de Fábio. Castigo para o Cruzeiro, que era melhor em campo. 

O Cruzeiro sentiu o gol e perdeu o controle da partida. Já o CSA, que começou o duelo acuado, ganhou moral e chegou ao segundo em mais um lance originado de bola parada, em nova falha coletiva do sistema defensivo. Rafinha cobrou falta lateral e encontrou o zagueiro Alan Costa sozinho na área. 2 a 0, aos 28 minutos. Na Série A de 2019, Alan Costa marcou o gol na surpreendente vitória do CSA sobre a Raposa, no Mineirão.

O Cruzeiro quase diminuiu em chute de Matheus Pereira que o goleiro espalmou.

A desvantagem no placar fez o técnico Ney Franco mexer duas vezes no primeiro tempo: Sacou o volante Jadsom para entrada do centroavante Thiago e tirou Arthur Caíke e colocou o lateral Daniel Guedes. Com isso, Rafael Silva deixou a ala e virou ponta.  As mudanças, contudo, não foram suficientes para alterar o placar da etapa inicial. 

Segundo tempo

O Cruzeiro foi para o tudo ou nada na etapa final. Se lançou ao ataque e deixou a defesa aberta para o contra-ataques do CSA, que achou espaços para ameaçar o gol de Fábio. Em 10 minutos da etapa final, os donos da casa chegaram mais vezes do que em todo primeiro tempo. 

Insatisfeito com o rendimento, Ney Franco colocou Roberson e Machado nos lugares de Rafael Luiz e Airton.  Com isso, voltou a ficar com dois volantes, mas tirou os jogadores de velocidade, deixando dois centroavantes. 

Mesmo sem organização tática, o time celeste conseguiu diminuir na base da vontade e do talento do lateral esquerdo Matheus Pereira, que tabelou com Roberson e bateu cruzado, aos 21 minutos. 

Quando se organizava para tentar buscar o empate, o Cruzeiro levou o terceiro gol, mais um de cabeça. Pedro Lucas aproveitou cruzamento e mandou para as redes, aos 26 minutos. 

O CSA ainda perdeu Rodrigo Pimpão, expulso após receber o segundo cartão amarelo. Desorganizado, o Cruzeiro não teve competência para reagir.

Ficha técnica 

CSA 3X1 Cruzeiro 

CSA: Matheus Mendes; Diego Renan, Alan Costa, Cléberson e Rafinha; Márcio Araújo, Geovane, Yago (Marquinhos) e Pedro Júnior (Cedric); Rodrigo Pimpão e Paulo Sérgio (Pedro Lucas). Técnico: Adriano Rodrigues (interino)

CRUZEIRO: Fábio; Rafael (Roberson), Leo, Cacá e Matheus Pereira; Jean e Jadsom (Thiago) e Maurício; Airton (Filipe Machado), Régis e Arthur Caíke (Daniel Guedes). Técnico: Ney Franco

Gols: Cleberson (aos 11’1ºT), Alan Costa (aos 30’1ºT) e Pedro Lucas (aos 26’2ºT)

Cartões amarelos: Pedro Júnior, Pedro Lucas, Rodrigo Pimpão (2x) (CSA); Filipe Machado (Cruzeiro)

Cartão vermelho: Rodrigo Pimpão (CSA)

Motivo: 10ª rodada da Série B do Brasileiro

Estádio: Rei Pelé, em Maceió (AL)

Data e horário: 19 de setembro de 2020 (sábado), às 21h

Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)

Assistentes: Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá (RJ) e Lilian da Silva Fernandes Bruno (RJ)

 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    As apostas podem ser feitas até as 19h #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O dinheiro poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem ou retirado em caixas eletrônicos, unidades lotéricas e correspondentes bancários. #itatiaia

    Acessar Link